Prepara cada pormenor do teu CV ao detalhe

Sabias que os recrutadores precisam de menos de 10 segundos para ver o teu CV? Se já começaste a procurar o teu primeiro emprego, deves ter reparado que estás num ambiente muito competitivo. A concorrência é ainda maior quando se trata de um perfil júnior, como tu, à procura da sua primeira experiência profissional.

A experiência é geralmente pouca, e tens que tentar encontrar outras maneiras de obter a atenção dos recrutadores. Lembra-te que o especialista em recursos humanos vai ter um papel preponderante na primeira impressão que a empresa tem de ti. O teu currículo não pode deixar ninguém indiferente. Para fazeres isso, tens que evitar ser como todos os outros e encontrar o ponto que te distingue.

Dados que tens que incluir obrigatoriamente no teu CV

  1. Informação pessoal. Nesta seção, deves incluir o teu nome e detalhes de contato. Se tens uma página Web profissional deverás inclui-la aqui - perfis de redes sociais como o LinkedIn também poderão ser interessantes. Desta forma, os recrutadores podem expandir as informações que têm sobre ti.
  2. Formação. Por ordem cronológica, do mais recente para o menos recente. Se achares adequado, podes adicionar prémios ou atividades relacionadas com a tua formação académica. Se recebeste algum diploma de mérito poderás inclui-lo aqui. A menos que tenhas frequentado uma instituição particularmente reputada, não existe grande vantagem em incluir a tua Escola Secundária.
  3. Experiência de trabalho. Expõe a tua carreira por ordem cronológica. É interessante adicionar uma breve descrição das tarefas executadas em cada posição, para que o recrutador perceba rapidamente quais as tuas funções. Se não tens experiência de trabalho, destaca as tuas experiências de voluntariado ou programas de mobilidade – este tipo de atividades também é altamente valorizado pelas empresas.
  4. Línguas. Tenta utilizar termos quantitativos específicos para a qualidade das tuas línguas em vez de termos genéricos como baixo, médio ou avançado. Escrever “Inglês – Médio” no CV é algo que praticamente todos os jovens podem fazer, mas não quer dizer que estejam aptos para manter uma conversação nessa língua. Especifica as tuas capacidades nos diversos campos - expressão oral, expressão escrita e compreensão da leitura – e classifica-os segundo os critérios internacionais (escala de A1 a C2). Mentir não vai ajudar muito, já que na maioria das entrevistas as tuas linguagens podem facilmente ser postas à prova. Se tiveres passado algum tempo no estrangeiro, refere-o aqui. As palavras são apenas palavras. Prova o que puderes com factos.
  5. Capacidades. Aqui está tudo o que te pode diferenciar dos outros. Ferramentas que sabes manipular e em que sabes que és bom deverão ser incluídas nesta secção.
  6. Outros. Podes incluir um pequeno parágrafo sobre os teus objetivos para chamar a atenção e para que o recrutador te conheça melhor. Outra opção muito válida é adicionar uma pequena seção em que falas dos teus hobbies. Apesar disso, sê muito cuidadoso com a informação que incluis. Não digas que gostas de ler quando não é verdade – podem facilmente perguntar-te qual foi o último livro que leste durante uma entrevista. Evita mencionar afiliações políticas ou questões que possam gerar alguma controvérsia.

Dicas para um bom CV

- Uma única página. O recrutador precisa de te conhecer num ápice.

- CV adaptado ao cargo. É muito recorrente fazer um único CV e distribuir por várias empresas. Deves tentar adaptar o currículo àquilo que uma determinada oportunidade requer. Por exemplo, no caso de uma empresa estrangeira, pode ser melhor para enviá-lo em Inglês. Ou no caso de uma empresa de pós-produção digital, talvez queiras incluir um link para a tua página Web.

- Limpo e fácil de ler.

- Sê criativo. Evita Europass e modelos predefinidos a menos que seja especificamente solicitado. É difícil diferenciares-te se envias o mesmo modelo que todos os outros.

- Tem cuidado com a fotografia. Se estás à procura de um trabalho fora de Portugal, tenta informar-te sobre as práticas comuns no local. Em alguns países é obrigatório enquanto noutros chega a ser proibido para evitar discriminação.

- Não mintas. Pode parecer óbvio, mas ficarias surpreso com as informações que os recrutadores conseguem encontrar.

- Tem cuidado com a ortografia. Um erro de ortografia quase implica seres automaticamente descartado. Verifica cuidadosamente todos os textos do teu CV e, se necessário, procura ajuda para esta tarefa.

- E-mail profissional. Três em cada quatro CVs são descartados porque os endereços utilizados não são suficientemente profissionais. Aquela conta de e-mail que criaste na tua adolescência já não é apropriada.

Palavras a evitar no teu currículo

Os CVs estão repletos de clichés, buzz words e palavras que todos nós repetimos uma e outra vez. Em vez de usar esses termos, é muito melhor mostrares a tua qualidade com factos concretos. Por exemplo, em vez de dizer que trabalhas muito bem em equipa, expõe uma situação em que conseguiste atingir o sucesso ao trabalhares em conjunto com um grupo de colegas. Evita clichés e tenta encontrar outra forma para te expressares.

O ponto mais importante a ter em conta ao fazer um bom CV é lembrares-te de que é a ferramenta que te irá abrir as portas para um emprego. Tens que mostrar tudo o que vales e ser atraente para a pessoa que vai fazer o processo de seleção. O importante é tentares ser criativo e esforçares-te para que o CV reflita na perfeição o profissional que és. Mas não te preocupes! Na unono.net estamos aqui para ajudar. A nossa equipa de Talent Acquisition vai aconselhar-te e ajudar-te a melhorar o teu CV durante todo o processo de seleção. Basta enviares o teu CV e faremos todo o resto do trabalho por ti. Fácil, não é?

Queres receber mais dicas-ninja deste género? Temos conteúdo para gente dinâmica e activa como tu. Sabe mais aqui.