Os efeitos práticos do stress no teu corpo

Se estás a ler este artigo, sentes stress. É inevitável – por mais relaxada que seja a tua vida, o stress é uma reação natural inerente ao ser humano que é despoletada nas mais diversas atividades da vida. Independentemente do facto de serem boas ou más, esta resposta inevitável tem um cariz evolutivo que está associado a necessidade de garantir a tua segurança perante fatores imprevistos.

Se sentes stress, é sinal que o teu corpo está a libertar as hormonas certas, a aumentar o teu ritmo cardíaco e a acelerar a tua respiração, com o objetivo de diminuir o teu tempo de resposta. No fundo, a resposta do corpo ao stress baseia-se num mecanismo que tem como principal objetivo ajudar-te a lidar com situações mais exigentes no teu dia-a-dia.

Desta forma, o stress não precisa necessariamente de ser encarado como algo negativo. Porém, o caso pode mudar de figura perante alguns acontecimentos mais traumáticos da vida, que possam fazer com que os teus níveis de stress se mantenham exageradamente altos durante um longo período de tempo. Se tens uma vida demasiado atarefada, andas sempre sob grande pressão e não tens tempo para relaxar nem por um minuto, é normal que este tão falado stress tenha então um papel prejudicial.

O resultado de um quotidiano deste género, tem como consequência o facto de o teu corpo manter o mecanismo de resposta ao stress ativado durante muito mais tempo do que aquele que seria expectável e necessário para a sobrevivência, uma situação que acaba por ter um impacto no teu bem-estar e no estado do teu corpo.

A longo prazo, este pode ser um problema crónico e real, com efeitos adversos palpáveis, como vamos ver já de seguida na lista que preparámos sobre os efeitos que o stress pode ter no teu corpo e na tua mente.

Irritabilidade e depressão

Alguns dos sintomas mais comuns no que ao stress diz respeito estão relacionados com a irritabilidade. Os altos níveis de stress podem estar relacionados com diversos quadros deste género, incluindo ansiedade, podendo mesmo levar à depressão. A longo prazo, o stress pode também ser responsável por uma reconfiguração do cérebro, deixando um indivíduo muito mais suscetível a ter falhas de memória.

Problemas cardíacos

O stress crónico leva o teu coração a ter que trabalhar de forma muito mais intensa do que o habitual por longos períodos de tempo. Por essa razão, esta fenómeno pode estar na origem de problemas cardíacos, bem como ser responsável por um aumento no risco de teres problemas de hipter-tensão e ataques cardíacos.

Problemas digestivos

A descarga constante de hormonas em resposta aos estímulos do teu sistema nervoso, a respiração acelerada e o aumento do ritmo cardíaco tem outro lado da moeda. Em alguns casos, esse trade-off pode dar-se sob a forma de problemas digestivos, com o aumento da azia e indigestão a estarem frequentemente ligados ao stress elevado.

Insónias

A quantidade de hormonas que o teu Sistema nervoso central continua a libertar no teu corpo é responsável por não conseguires acalmar-te durante a noite. Este problema pode ser particularmente agudizado se estiveres a trabalhar sob pressão durante longas horas imediatamente antes de ires dormir.

Dores de cabeça

O stress extremo, aliado a condições de fraca alimentação e poucas horas de sono, pode levar ao surgimento de dores de cabeça e de enxaquecas. Em alguns dos casos, pode ainda registar-se a ocorrência de tonturas e perda do controlo das básicas funções motoras.

Borbulhas

Em alguns indivíduos, regista-se uma ligação forte entre os altos níveis de stress e o surgimento de erupções cutâneas. Trata-se do maior órgão do corpo humano e também um dos mais afetados no que a este quadro diz respeito. Entre os sintomas, podem destacar-se ainda a ocorrência de alguma descamação da pele e vermelhidão.

Distúrbios alimentares

Sob stress, um indivíduo pode facilmente deixar de tomar a atenção necessária sobre a sua alimentação. Os efeitos deste fenómeno podem levar uma pessoa a comer muito mais ou muito menos do que aquilo que é recomendável, estando na origem de distúrbios alimentares como a obesidade.