Nunca digas isto numa entrevista de emprego

As expressões que podem condenar o teu resultado.

Tiveste imenso trabalho a criar o teu CV. Esmeraste-te ao máximo na tua Carta de Motivação. Preparaste a tua primeira entrevista de emprego formando respostas para algumas perguntas típicas, desejando com todas as tuas forças que não te apresentassem nenhuma questão descabida, daquelas que se lêem na Internet.

Não seria uma pena se deitasses tudo por água abaixo por dizeres uma frase menos bem pensada na altura errada?

De facto, existem determinadas palavras que deverias esquecer por completo antes de entrares numa entrevista de emprego. Não se tratam de verdadeiros tabus, mas sim de um conjunto de palavras que não jogarão a teu favor quando utilizadas de forma errada. Deverás tentar contornar o assunto utilizando outras expressões, ou pegando na questão de uma forma alternativa.

Por essa razão, para que tenhas noção dos termos ou assuntos que pode ser vantajoso evitar durante um questionário de seleção, preparámos esta lista para ti. Confere e fica alerta.

Nervos, nervoso, ansioso, atrapalhado

Nenhuma empresa quer contratar alguém com uma evidente falta de confiança, principalmente se essa caraterística estiver em particular evidência durante a sua entrevista de emprego. É por isso que deves evitar referir o facto de estares nervoso ou ansioso com a situação.

É normal que o sintas, tendo em conta que este tipo de processo coloca os candidatos sob grande pressão psicológica. Ainda assim, deves esforçar-te para ignorar esse assunto, tentando agir da forma mais descontraída e natural possível.

Dinheiro, salário, pagamento, compensação

Este trata-se de um assunto relevante e que pode efetivamente ser colocado em cima da mesa durante uma entrevista de emprego. Ainda assim, isso deve ser feito com grande cautela, evitando referir os termos dinheiro, salário, ou pagamento na fase inicial do processo de seleção ou durante o arranque de uma entrevista.

A melhor forma de abordar a questão será esperar pelo final da conversa, demonstrando então o interesse por esse assunto caso as condições se revelem oportunas.

Fraquezas, erros, pontos fracos

Uma questão que acaba por ser abordada em praticamente todas as entrevistas de emprego. Apesar disso, deves certificar-te que não és tu a puxar o assunto para cima da mesa, começando a falar livremente sobre aquelas que consideras ser as tuas fraquezas.

A única vantagem que esta abordagem te poderia trazer, seria se estivesses a dar o exemplo de um erro que tenhas cometido numa outra situação para demonstrar como conseguiste dar a volta e melhorar as tuas capacidades.

Vantagens, regalias

É escusado teceres elogios sobre as políticas de regalias da empresa para a qual te estás a candidatar. Torna-se pouco profissional fazeres questão de demonstrar todo o teu entusiasmo pelo facto de distribuírem snacks gratuítos entre os trabalhadores e dá a entender que estás mais preocupado com esses benefícios do que com a tua contribuição.

No tempo adequado saberás quais são as vantagens oferecidas aos trabalhadores da empresa. Ou, tal como acontecia com o tema da remuneração, caso estejas mesmo interessado em saber mais, poderás colocar a questão depois de terminada a entrevista.

Terrível, horrível, péssimo

Especicalmente se te estiveres a referir a outras experiências de trabalho, estágios, ou superiores antigos, deves evitar utilizar este tipo de termos. Não é elegante, e vai fazer com que soes mesquinho e pouco profissional.

Como é óbvio, também dá a entender que facilmente farias o mesmo em relação à posição para a qual te estás a candidatar agora. Algo que certamente não agradará ao entrevistador e te fará perder pontos no processo.